Cidadeverde.com

Bebê de um ano e sete meses morre após tomar dipirona em hospital de Campo Maior

Um bebê de um ano e sete meses morreu na manhã desta terça-feira (1º) após tomar uma dose de dipirona no Hospital Regional de Campo Maior, a 80 quilômetros de Teresina. Internada com febre, diarreia e vômitos, a criança faleceu aproximadamente 20 minutos depois de receber o medicamento.

Identificada como Sara Valentina Alves Nascimento, a criança deu entrada na unidade de saúde por volta das 9h em estado febril. Em entrevista ao site Campo Maior em Foco, um tio da menina identificado como Antônio da Loteria disse que a morte aconteceu imediatamente após o uso da medicação prescrita pela médica de plantão.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde garantiu que não houve erro médico. "Vinte minutos após ser medicada, a criança desmaiou e, logo, foi levada a sala de estabilização onde teve todo o acompanhamento médico, de cardiologia e ainda da diretoria clínica".

A diretoria do hospital esclareceu também que a vítima não apresentou sinais de que tinha alergia ao medicamento.

Após a morte de Sara Valentina, seu corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Teresina. O objetivo é investigar as causas da morte da criança.

Flávio Meireles
flaviomeireles@cidadeverde.com

Homem é preso com três facas ao ameaçar segurança em Campo Maior

Policiais militares prenderam na madrugada desta segunda-feira (31) um homem acusado de ameaçar o segurança de uma festa no Centro de Campo Maior, a 80 quilômetros da capital Teresina.

Identificado como Daniel Duarte Oliveira, o suspeito foi detido com duas facas. De acordo com o sargento Antônio Lisboa, que atendeu a ocorrência, ele já havia se envolvido em uma confusão com o segurança da Seresta Democracia, na área central da cidade.

"Ele se encontrava nessa seresta e foi abordado pelo segurança, que lhe tomou uma faca. Expulso da festa, ele foi para casa, se armou e voltou com outras duas facas", relatou o sargento da Polícia Militar.

Daniel foi abordado por policiais militares antes de retornar à seresta. "O segurança ligou e avisou que o suspeito tinha voltado com duas facas. Fomos acionados e conseguimos prendê-lo. Ele não resistiu. Estava lúcido e disse para mim que ia matar o segurança. Inclusive, deixou um veículo preparado no ponto para fugir", detalhou Lisboa.

Detido, Daniel foi encaminhado para a Delegacia de Campo Maior. Segundo o escrivão Baker Martins, ele ficou recolhido até o amanhecer, quando mudou a sua versão dos fatos. "Ele estava embriagado. Pela manhã, fizemos o procedimento, ele assinou um termo circunstanciado e ele foi liberado. Deverá ser indiciado por ameaça e porte ilegal de arma branca".

Flávio Meireles
flaviomeireles@cidadeverde.com

Casa de Detenção de Campo Maior abre 120 vagas no sistema penitenciário

Com a retomada da construção da Casa de Detenção Provisória de Campo Maior, o número de vagas no sistema penitenciário do Piauí aumenta em 120. A obra, para o secretário de Justiça Daniel Oliveira, ajuda a humanizar o sistema, uma vez que se apresenta como mais uma medida para minimizar a superlotação.

O Governo do Estado inaugurou, em maio, a Casa de Detenção Provisória de Altos, abrindo mais 122 vagas no sistema. Há projetos para construção de novas penitenciárias em Oeiras e em Corrente. Também em Altos, uma nova unidade prisional com 600 vagas está nas metas da Secretaria de Justiça.

"Essas obras, certamente, colaboram para reduzir a superlotação e, somadas a medidas como a efetividade da audiência de custódia e aplicação de penas alternativas, auxiliam a conter o avanço da população carcerária no Estado, consequentemente, humanizando o sistema", observa Daniel Oliveira.

Nesta semana, o secretário de Justiça fará visita a Campo Maior para acompanhar o andamento da obra. "Queremos dar agilidade. Sabemos que os problemas em torno do sistema penitenciário nacional são históricos e, portanto, precisamos pensar e executar com celeridade as ações que buscam a solução", enfatiza.

Ainda segundo Daniel Oliveira, a obra da Penitenciária de Campo Maior estava parada desde 2010 e foi retomada após entendimento entre o Governo do Estado, Poder Judiciário, Ministério Público do Piauí e a Câmara Municipal e Prefeitura de Campo Maior.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Campo Maior promove seletiva da São Silvestre no domingo (30)

Cumprindo o calendário de atividades de 2015, a Fundação dos Esportes do Piauí (Fundespi) promove a terceira etapa da corrida seletiva de São Silvestre, neste domingo (30), em Campo Maior, região dos carnaubais. A prova terá percurso de sete quilômetros, com largada na Praça Bona Primo, em frente à paróquia de Santo Antônio, no Centro da terra dos carnaubais.       

O coordenador Celso Carvalho Lima salienta que as inscrições continuam abertas e os corredores interessados é só procurar por Pelé, na Prefeitura Municipal de Campo Maior, no horário da manhã. As duas últimas seletivas foram em Pedro II e Amarante.

O presidente da Fundespi, Vicente Sobrinho, adiantou que, na microrregião dos carnaubais, a expectativa é muito grande pelo pedestrianismo. Segundo ele, deverão comparecer um número muito maior de atletas das cidades de Alto Longá, Beneditinos, Nossa Senhora dos Remédios, Cabeceiras, Coivaras, Cocal de Telha, Castelo, Juazeiro, São João da Serra, Novo Santo Antonio, Boqueirão, Boa Hora e Pau D'arco. A próxima prova será em Picos, dia 13 de setembro.

 

Da Redação
redacao@cidadeverde.com 

Mãe e filha morrem em acidente em rodovia de Campo Maior

Mãe e filha morrem em acidente na PI 115, no trecho que liga as cidades de Campo Maior e Castelo do Piauí. O acidente ocorreu por volta das 10h desta segunda-feira (10). Maria Osmandina de 75 anos e Lídia Brito de 50 morreram na hora.

Foto: Campo Maior em Foco

O corpo das mulheres acabou sendo jogado para fora do veículo. O SAMU chegou a ser acionado, mas as vítimas já estavam mortas. 

As mulheres eram moradoras do povoado Bom Jardim na zona Rural de Sigefredo Pacheco.

Buracos podem ter causado morte

O grande número de buracos na pista pode ter sido a causa do acidente que vitimou as duas mulheres nesta segunda. Ao passar pelo trecho os motoristas precisam fazer manobras arriscadas e a alta velocidade pode provocar acidentes graves, que tem acontecido com cada vez mais frequência no trecho.

Rayldo Pereira
Com informações de Campo Maior em Foco
rayldopereira@cidadeverde.com

Após prisão por baderna, jovem quebra a perna de policial e destrói cela em Campo Maior

O jovem Antônio Maycon Barroso, 22 anos, deu trabalho para a polícia de Campo Maior na noite de ontem (8), durante festa de aniversário de 253 anos da cidade. Após briga na praça de eventos Valdir Nunes, ele foi detido, quebrou a perna de um policial durante perseguição e destruiu o forro da cela da delegacia da cidade. 

De acordo com o agente de polícia civil Pedro Alves, o rapaz foi detido por policiais militares por estar sob efeito de entorpecentes e provocando brigas durante o evento. Com ele foi apreendida uma faca. 

Durante a condução à delegacia, ele tentou fugir e um dos policiais iniciou uma perseguição a pé ao jovem. Quando alcançou o suspeito, os dois iniciaram luta corporal e Antônio caiu sobre a perna do policial. 

"Ele teve uma fratura no tornozelo durante a queda, porque o preso caiu em cima dele. Mesmo assim o rapaz não conseguiu fugir, porque os outros policiais pegaram e trouxeram para a delegacia", informou. 

Abrigado em uma cela de triagem da delegacia de Campo Maior, o jovem ainda subiu no teto pela porta, quebrou o forro e caminhou pelo telhado na tentativa de escapar. Contudo, o teto da recepção desabou com o seu peso e ele deslocou o ombro na queda. 

"Destruiu o forro, a fiação elétrica, lâmpada, mas novamente foi capturado e levado para uma cela de contenção. Agora está detido ainda na delegacia e aguarda as medidas do delegado", informou. 

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) precisou ser acionado para socorrer o policial e o rapaz. Ele responderá pelos crimes de perturbação do sossego, ameaça, danos ao patrimônio público, desacato e lesão corporal. 

 

Maria Romero
redacao@cidadeverde.com 

 

Defensoras Públicas recebem o título de cidadania em Campo Maior

Em solenidade realizada na Câmara Municipal de Campo Maior, as defensoras públicas Andréa de Jesus Carvalho, diretora das Defensorias Públicas Regionais e titular da 2ª Defensoria Pública Regional de Campo Maior; Carla Yascar Bento Feitosa Belchior, gerente regional de Campo Maior e titular da 1ª Defensoria Pública Regional de Campo Maior e Edvalda Regina Xavier Almeida, titular da 3ª Defensoria Pública Regional de Campo Maior, foram agraciadas com o Título de Cidadania Campomaiorense proposto pelo vereador daquele município, Edvaldo da Silva Lima.

A entrega do Título contou com a presença de familiares e amigos das homenageadas, das defensoras públicas Verônica Acioly de Vasconcelos, Sara Maria Araújo Melo e Glícia Rodrigues Batista Martins, além de várias autoridades campomaioreses.

A diretora das Defensorias Regionais e titular da 2ª Defensoria de Campo Maior, Andréa de Jesus Carvalho, destacou a importância do título recebido. "Tenho muito a agradecer a Deus, por ser contemplada com mais do que peço e com mais do que mereço. Mas esse título que recebo tem uma significação maior, um simbolismo inexcedível. Sempre me senti cidadã campomaiorense. Sempre procurei agir como uma. Agora, passo a ser uma, de fato e de direito. Mas não o tomo para mim apenas. Gostaria que todos que estiveram nesta caminhada ao meu lado, meu esposo, minha filha e toda a equipe da Defensoria Pública de Campo Maior, todos se sentissem também homenageados, já que um reconhecimento profissional não se trilha sozinho", afirmou.

"Receber o título de cidadã de Campo Maior, onde trabalho há mais de dois anos, foi para mim uma honra e uma alegria, além de grande estímulo para continuar trabalhando  em prol da população hipossuficiente dessa cidade. O valioso título, conferido às três defensoras titulares do núcleo daquela cidade, representa também o reconhecimento do trabalho desempenhado pelos defensores públicos que nos antecederam, assim como da importância da nossa instituição. Renovo, pois, o compromisso  de bem servir aos meus conterrâneos, com zelo e dedicação, a fim de garantir aos nossos assistidos a assistência jurídica assegurada pela Constituição Federal de 1988", disse a gerente regional de Campo Maior e titular da 1ª Defensoria Pública Regional de Campo Maior, Carla Yascar Bento Feitosa Belchior.

A defensora pública geral, Francisca Hildeth Leal Evangelista Nunes, destacou que a proposição e entrega do Título de Cidadania às três defensoras representa o reconhecimento da população campomaiorense ao trabalho desenvolvido pela Defensoria Pública naquele município. "A homenagem mostra que estamos trilhando o caminho correto, realizando um trabalho de compromisso e zelo para com a população de Campo Maior", pontuou.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Homem é morto esfaqueado durante festa em Campo Maior

Um homem identificado Denílson Lopes da Silva, de 25 anos, foi morto com uma facada durante festa do aniversário de 253 anos da cidade de Campo Maior, na madrugada de hoje (8). Uma briga generalizada entre moradores de bairros rivais da cidade terminou com a morte do rapaz. O suspeito tem apenas 14 anos. 

De acordo com o comandante da Polícia Militar na cidade, coronel Rui Cordeiro, pelo menos seis pessoas estavam envolvidas na briga inicial. Denilson seria morador do bairro Cariri e o menor suspeito do homicídio residiria no bairro Matadouro.

"Ninguém sabe ao certo como essa rivalidade começou começou. Sabemos que os dois bairros são rivais e de vez em quando há brigas quando os moradores se encontram. Ontem infelizmente terminou com essa morte", declarou.

Segundo ele, a vítima não tinha passagens pela polícia. O menor suspeito do crime está foragido e a polícia já tem pistas de sua localização. Um outro menor de idade, também envolvido na morte, igualmente está desaparecido.

A polícia informou que a rivalidade entre os bairros não tem relação com disputa por território do tráfico de drogas na cidade. Durante a festa, realizada na praça de eventos Valdir Nunes, não houve outras ocorrências, segundo informou a polícia. 

Denilson foi atingido por apenas um golpe de faca no abdômen e chegou a receber atendimento do Samu, mas não resistiu. Ninguém mais ficou ferido. 

A prefeitura de Campo Maior divulgou nota lamentando o ocorrido. Leia na íntegra:

A Prefeitura Municipal de Campo Maior, em nome da Prefeita em exercício Sílvia Brito “Silvia do Caú”, lamenta profundamente a fatalidade ocorrida na madrugada deste dia 08 de agosto em que o jovem Denílson Lopes da Silva, de 25 anos teve sua vida ceifada motivada por uma rixa entre bairros, conforme hipótese levantada pela própria polícia.

Esclarecemos que foram tomadas todas as providências de segurança necessárias para a realização do evento. A gerência de eventos da Prefeitura de Campo Maior enviou ofícios tanto para a Polícia quanto para o SAMU e ainda contratou cerca de 15 seguranças particulares como reforço.

A fatalidade ocorreu por volta das 4h da manhã quando, segundo o Tenente Coronel Rui Cordeiro, Comandante do 15° Batalhão da Polícia Militar de Campo Maior, os policiais saíram da praça para atender uma ocorrência em outro ponto da cidade. Foram colocados cerca de 11 policiais entre militares e da força tática no local do evento na noite do dia 07 de agosto. Um dos envolvidos já está preso e o principal suspeito, que é um menor de 14 anos, está foragido, mas a polícia já está no seu encalce.

Lamentamos que pessoas saiam de casa mal intencionadas e com o objetivo de praticar crimes. Ficam nossas sinceras condolências à família do jovem que perdeu sua vida de forma inesperada e torcemos que os culpados paguem pelo crime cometido.

 

 

Maria Romero
redacao@cidadeverde.com 

De cadeira de rodas, Paulo Martins participa de inauguração da Ouvidoria de Campo Maior

O prefeito licenciado de Campo Maior, Paulo Martins (PT) reapareceu neste sexta-feira (07) após ficar praticamente isolado por recomendações médicas por causa de um acidente sofrido há vinte dias quando passeava com os filhos no litoral do Piauí. Com o tendão de Aquiles rompido, ele passou por cirurgia, nesta semana, retirou os pontos e colocou o gesso, mas está tendo que utilizar muletas e cadeiras de rodas.

E foi de cadeira de rodas que ele apareceu na inauguração da Ouvidoria Geral de Campo Maior, onde ocorreu também a posse do Ouvidor Geral, Luiz Cadeira. “Estamos fazendo uma gestão de muita transparência, seriedade e responsabilidade para dar a resposta para o povo”, disse Paulo Martins.

O prefeito licenciado destacou que todos os veículos da Prefeitura terão identificação com o contato da Ouvidoria.

Ao tomar posse, Luiz Cadeira disse que a sua principal missão será dar respostas em tempo hábil. A Ouvidoria terá email, link no site da Prefeitura de Campo Maior, Whatsapp, telefone e página no Facebook. “Nos comprometemos a agir para retornar o contato dos usuários dando a resposta, de preferência a que ele espera, que é a resolução dos problemas”, falou Luiz.

A prefeita em exercício de Campo Maior, Silvia do Caú (PV), ressaltou os resultados da atual gestão da administração municipal e citou a qualidade da água como um dos pontos fundamentais. “Só em oferecer uma água 100% tratada já é um grande avanço para o município”, disse a gestora parabenizando e desejando boa sorte a Luiz Cadeira.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Prefeito Paulo Martins antecipa salários de servidores

Antes de se afastar oficialmente da prefeitura de Campo Maior, o prefeito Paulo Martins determinou na última terça-feira (04) a antecipação do salário dos servidores municipais referentes a julho. O pagamento só seria depositado no dia 10 de agosto, mas já estará disponível nesta quinta-feira (06), após liberação do secretário de Finanças, Otacílio Leite.

De acordo com o  prefeito Paulo Martins, os salários dos servidores municipais estão sendo antecipados devido as comemorações do aniversário de Campo Maior. A extensa programação que começou no dia 04 de agosto, segue até dia 8.

“Infelizmente tivemos muito atraso com a corrupção de alguns gestões anteriores. Se estamos fazendo obras, pagando energia, INSS, salários atrasados e todos os servidores recebem em dias e salários mais justo é porque estamos trabalhando com responsabilidade”, afirma Paulo Martins.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Posts anteriores