Contemporama Contemporama Sobre Fale Conosco
  • "Corpúsculo" ou a bela single lady

    No dia seguinte ao que Beyoncè Knowles saiu aclamada do Grammy e seu hit "Single Ladies" foi escolhido a melhor música de 2009, a artista recebeu uma homenagem pra lá de inusitada no Theatro 4 de Setembro, em Teresina: pilotando um macaquinho de lycra preto, o ator Franklin Pires pulou no palco e mostrou seu lado rebolativo ao interpretar um
    trecho grande da música de coreografia intrincada.

    Não se tratava de uma sátira ao Grammy, mas uma parte da peça "Corpúsculo", novo espetáculo do ator e autor de teatro que volta ao cartaz no mesmo Theatro, de hoje ate domingo, às 20h.
                                                                                              Fotos: divulgação

    Bid Lima com Bela Swina: tudo que uma atriz de comédia deve ser

    O lado "causante" de Franklin parou por aí. "Corpúsculo" pertence mesmo à increible Bid Lima, impagável no papel de Bela Swina, a moça que vai morar em Fucks e apaixona-se pelo vampiro Edward Cualém (Pires).

    Para quem perguntar, sim, todas as cenas do clássico pop juvenil estão na sátira, mas isso é mesmo uma obrigação. O importante mesmo é o trabalho esplêndido e hilário que Bid faz no palco - sem sair de cena em nenhum momento ela põe a platéia no bolso e nos mata (sem mordidas)  de rir com sua verve cômica, tempo de comédia preciso e um domínio de palco fabuloso.


    Cena de "Corpúsculo": tem até vampira-travesti viciada em loló

    O texto é mesmo um Franklin Pires de grife. Tem todos os elementos que fazem a marca
    do autor de teatro, mas poderia ter menos escatologia e palavrões - para fazer rir
    ainda se precisa disso?

    A estréia, em janeiro, foi muto prestigiada por uma juventude mezzo emo e fã da saga "Crepúsculo". Isso prova que Franklin pode não ser uma Stephenie Meyer, mas suas tiradas de humor pop - como a dancinha  de Beyoncè - agradam a um público exigente e que flana entre o rock açucarado, a literatura fast food e  a crítica ácida.


    Franklin "Meyer": mais uma sátira de clássicos do pop juvenil

    "Corpúsculo" é divertido, leve na maioria do tempo e, como seu irmão famoso "Crepúsculo" é de consumo rápido. Tem como vantagem a rapidez das piadas, que força a platéia a ficar em alerta para não perder nada. O único problema é que trata-se de um espetáculo para iniciados na saga vampiresca - vá mas não leve seus pais...


| © CidadeVerde.com 2014 | Todos do Direitos Reservados - Site by Masvio |